As perguntas mais comuns em entrevistas de emprego (Parte 2)

postado em: Carreira | 0

Olá a todos!

No último post nós discutimos alguns pontos que geralmente são colocados em entrevistas de emprego. Esse post é uma continuação do assunto. Vamos lá?

perguntas-entrevistas-emprego

3 – Se você pudesse ser um animal, qual você seria?

Essa pergunta sempre está presente nas entrevistas de emprego. Algumas opções interessantes são:

  • Leão/Onça: são animais agressivos e dominantes. Por isso, pessoas que respondem se identificar com esses animais geralmente possuem também um perfil agressivo, que corre atrás do que quer. São ótimas pessoas, aos olhos do RH, para cargos que exigem maior liderança.
  • Cachorro: geralmente é o animal mais respondido pelos entrevistados. Um dos motivos é que as pessoas de fato convivem com esse animal e o tem como um grande amigo, por isso respondem que se identificam. Porém, dependendo do cargo que você quer ocupar, responder que seria um cachorro pode ser um tiro no pé. Isso porque o cachorro, apesar de ser um animal muito querido, não é um líder nato, e costuma somente obedecer ordens. Porém, pessoas que se identificam com esse animal geralmente são sérias e objetivas, fieis e sempre buscam seu melhor
  • Gatos: também um animal muito citado nas respostas aos entrevistadores, talvez pelo mesmo motivo citado acima para os cachorros. Pessoas que se identificam com esse perfil geralmente possuem uma alta capacidade de adaptação a situações ruins. Cargos que exigem uma certa adaptação têm preferência por pessoas desse perfil
  • Pássaro: são animas livres. Portanto, pessoas que buscam cargos de criação, que exigem liberdade e criatividade, se encaixam muito bem nesse perfil de cargo.

 

4 – Seus conhecimentos sobre a empresa

Pode ser que, mesmo sem você perceber, o entrevistador tente testar o seu nível de conhecimento sobre a empresa. Portanto, jamais vá para uma entrevista de emprego sem saber exatamente o que a empresa faz.

 

5 – Por que eu deveria te contratar?

Colocar uma certa pressão faz parte da entrevista. Colocar o entrevistado em uma situação na qual ele perca um pouco do seu racional pode mostrar suas verdades. Sendo assim, o ideal nesse caso é seguir o que já foi dito no item anterior e estudar a fundo a empresa.

Você pode responder perguntando quais seriam exatamente as suas funções na vaga que iria ocupar e tentar relaciona-las com suas habilidades. Mas para já ir a entrevista preparado, tente pesquisar o máximo de informações nos dias que antecedem a entrevista.

Espero que as dicas tenham ajudado à todos que estão em busca de novas oportunidades!

Mais informações: CLIQUE AQUI

 

As perguntas mais comuns em entrevistas de emprego (Parte 1)

postado em: Carreira | 0

Se você é jovem e está apenas iniciando sua carreira, é de fundamental importância que você saiba como se portar em entrevistas de emprego.

Mesmo para aqueles recém-formados que estão contando com os programas de “trainee” – programas de treinamento promovidos por grandes empresas para pessoas com pouca ou nenhuma experiência no mercado de trabalho, mas que a empresa acredita compensar investir por terem excelente potencial -, é importante saber algumas dicas para entrevistas de emprego. Afinal, como se não bastasse os milhares de etapas que essa galera precisa passar para serem aprovados nesses programas superconcorridos, eles certamente encararão uma entrevista final como última etapa da seleção.

Para as dicas sobre carreira de hoje, vamos citar algumas das perguntas que geralmente são feitas por entrevistadores da área de recursos humanos, além de sugestões de resposta para que você se dê bem na entrevista.

perguntas-entrevistas-emprego1 – Qual é o seu pior defeito?

Nessa pergunta muita gente se enrosca. Será que é melhor responder honestamente e criar um possível motivo para a empresa não te contratar? Ou será que é melhor mentir?

Parta do pressuposto que todos temos defeitos. Ninguém é perfeito, e nenhuma empresa exige isso de você. Porém, meça suas palavras ao responder essa pergunta. Algumas dicas são válidas:

  • Não fale um defeito que te afaste completamente daquele cargo ou daquela empresa em específico. Pesquise antes da entrevista para não dar um tiro no próprio pé;
  • Não minta. Fale realmente um defeito que você tenha.
  • As empresas fazem esse tipo de pergunta pra saber se você sabe reconhecer seus próprios erros e se já está fazendo algo para se aprimorar. Portanto, ao falar seu defeito, já imediatamente fale o que você está fazendo para supera-lo.
  • Não use os clichês que na verdade tentam mostrar uma qualidade ao invés de um defeito. Dizer que é perfeccionista demais ou que gosta de trabalhar demais já levanta um alerta ao entrevistador de que, na verdade você está mentindo. E que, além disso, você é uma pessoa egocêntrica que não consegue perceber os próprios erros, não consegue evoluir como ser humano.

 

2 – Quais são seus pontos fortes?

Muitas vezes é difícil para nós mesmos citarmos nossas qualidades. Escutar o que nossos pais têm a dizer nem sempre é uma boa estratégia, pois pra eles, somos as melhores pessoas do mundo!

Portanto, uma boa dica aqui é perguntar para pessoas com as quais você já trabalhou. Esteja aberto a escutar verdades agradáveis e outras nem tanto, e pergunte. Certamente a visão de alguém que trabalha com você lhe abrirá a cabeça e te dará boas ideias para falar ao entrevistador, tanto sobre pontos fortes, como pontos fracos.

 

No próximo post, continuaremos discutindo sobre as perguntas mais comuns feitas em entrevistas de emprego. Fique ligado.

O Casamento

postado em: Finanças Pessoais | 0

Dentre tantas opções diferentes e novidades aparecendo nesse mercado dos casamentos, apostar em um casamento simples pode ser uma excelente opção para não começar a vida a dois já com dívidas e preocupações

 

Hoje em dia o mercado de casamentos está fervendo: novidades surgem a cada dia, trazendo novos desejos e expectativas para os noivos, já encantados com todas as ideias maravilhosas presentes no mercado.

O problema, quando se trata de casamentos, é que tudo termina com “mil”. Qualquer coisinha boba a toa custa x “mil”. Acostumados com valores tão altos, os noivos acabam perdendo um pouco a noção de valor. Dessa forma, investimentos de R$ 100 ou R$300 parecem tão bobos, que não vale a pena economizar com algo desse valor.

casamento simplesSeria o mesmo de escolher entre dois pacotes de macarrão no supermercado. O mais barato custa R$5, enquanto o da marca que você adora custa R$7. Por dois reais de diferença, melhor levar o que você gosta, certo?

O mesmo pensamento vale para os noivos que vêem pequenos desejos. Mas a diferença é que ao invés dois reais, trata-se de algumas centenas ou muitas vezes milhares de reais. Você pensa: ah… mas o que são R$ 500 perto de tudo que eu já estou gastando?

Porém, é preciso lembrar que de grão em grão a galinha enche o papo ou, nesse caso, de real em real o bolso se esvazia. É preciso tomar muito cuidado para que esses pequenos gastos não se tornem um enorme rombo na sua conta bancária.

  • Antes de mais nada, é preciso estipular um valor a ser gasto. Qual é o seu orçamento? Estipule e tente não sair dele.
  • Caso veja algo pelo qual você se apaixonou, faça escolhas: elimine alguma coisa do orçamento para tentar acrescentar outra.
  • Busque informações em blogs de casamento voltados para economia nessa fase da vida;
  • Lembre-se que casar, muito além da festa, significa iniciar uma vida a dois. Agora junte esse fato com  o fato de que uma grande parte dos casamentos termina por problemas financeiros. Deu pra entender porque começar o casamento com dívidas e preocupações financeiras não é uma boa ideia?
  • Sempre se lembre do real motivo de se casar: amor à outra pessoa, desejo de celebrar a decisão de vocês de passar o resto da vida com a pessoa amada. Por isso, antes de investir em extravagâncias para impressionar as pessoas, pense na saúde do seu relacionamento e no que realmente importa.

Espero que tenhamos ajudado os noivos a planejarem seus casamentos com responsabilidade e economia.

 

HOME

Educação de filhos: Por que tão complicado?

postado em: Família | 0

A educação dos filhos é realmente algo complicado. Não há como negar. E quem disser que é simples, eu admiro. Pois ninguém nasce sabendo e tem que aprender conforme for fazendo. E esse processo necessariamente é um processo de tentativas e erros.mae e filho

Errar enquanto se educa é completamente normal. O importante é sempre buscar mais informações pra tentar mudar o rumo. Enxergar e aceitar o erro, e assim, tentar mudar. Muitas pessoas, porém, tem dificuldades em assumir as próprias falhas e mudar.

Educar os filhos já é um processo complicado, cheio de dúvidas e, muitas vezes, doloroso. Mas, pra complicar ainda mais, é um processo no qual você fica o tempo inteiro sob julgamento de todos: desde a família até desconhecidos em um shopping. O mais interessante é que as pessoas que nos julgam também erraram quanto à educação de seus filhos ou, muitas vezes, nem filhos têm para ao menos saberem as dificuldades desse processo.

Por isso, queridos pais e mães leitores desse blog: façamos uma reflexão!

Se você é pai ou mãe, muitas vezes você já deve ter passado por situações constrangedoras com seus filhos. Alguns exemplos? Vamos lá:

  • Seu filho deitado no chão da loja de brinquedos fazendo birra porque quer aquele brinquedo novo super lançamento que custa míseros R$ 250,00 – Lógico que ele não tem noção nenhuma de economia então pra ele aquele brinquedo ou o mini ursinho de pelúcia de 3 cm deve custar a mesma coisa.
  • Seu filho gritando depois de um dia de diversão na casa de um amiguinho porque não quer ir embora pra casa. Afinal, o dia foi tão divertido! Por que ele não pode continuar ali?
  • Seu filho contando aquele segredo de família super secreto que não era pra ninguém ficar sabendo mas que vocês ingenuamente contaram na frente dele porque acharam que ele nem tava prestando atenção na conversa. Tipo: “ah tia, minha mãe disse que não posso mais vir na sua casa toda hora porque você só me dá bolacha recheada pra comer e eu vou acabar ficando gorda igual a você”. Épico!

Pois bem, entenda: seu filho não fez essas coisas porque ele acha bonito se jogar no chão ou porque ele queria te ferrar com a sua cunhada. Ele é uma criança inocente e ele precisa entender o que deve fazer pra se adequar ao convívio em sociedade. E ele foi enviado para a sua família para que você ensine isso a ele. É a sua missão (uma delas, pois temos muitas missões nesse mundo).

Portanto, não se sinta envergonhada por causa de seu filho. Ele ainda tem muito a aprender e isso consiste em errar várias vezes. Se ele fizer manha ou birra na frente de pessoas conhecidas ou desconhecidas, isole o mundo a sua volta. Tente conversar calmamente com ele, nem que isso leve muitos minutos. Geralmente queremos somente nos livrar daquela situação desconfortável e acabamos só arrastando a crianças pra longe daquele ambiente. Fazendo dessa forma, nada foi resolvido. Não teve uma conversa e ele não entendeu nada do que aconteceu. E você deve ter a noção que isso faz parte do aprendizado dele como ser humano e não perder a paciência. A sua função é explicar porque isso é errado. Por mais que seja difícil, tente não se importar com a opinião dos outros nesse momento.

Portanto, vamos nos ajudar: nunca mais julgue uma família, seja ela conhecida ou estranha. Ajude sempre que possível e vamos iniciar uma corrente do bem de família se ajudando ao invés de se julgando.

 

HOME

Como lidar com puxa-sacos no ambiente de trabalho

postado em: Carreira | 0

Se existe uma coisa que realmente tira qualquer um do sério são os famosos puxa-sacos de chefe no nosso ambiente de trabalho. Os únicos que talvez não se incomodem com esse tipo de pessoa são os próprios puxa-sacos!

De acordo com essa reportagem do G1, um ambiente de trabalho negativo afeta a produtividade dos funcionários em até 30%. Mas, antes de surtar, vamos refletir sobre o assunto.

Trabalhar em uma empresa, seja ela grande ou pequena, implica em conviver com pessoas. E pessoas são diferentes: têm hábitos diferentes, objetivos diferentes e, principalmente, meios diferentes de atingir seus objetivos.

Aqui vão algumas dicas para ajudar você a lidar com o problema:

 

equipe de trabalho

1 -Vale a pena se estressar?

Existem vários níveis diferentes de “puxa-saquismo”. Portanto, antes de se estressar absurdamente com seus colegas de trabalho, faça uma reflexão interna e veja qual é o seu nível de tolerância com determinados comportamentos. Às vezes, simplesmente não vale a pena perder a cabeça.

 

2 – Isso está te prejudicando?

Após avaliar isso, pense se isso está realmente te prejudicando. Muitas vezes, o puxa-saco não está prejudicando ninguém além dele mesmo. Nesse caso, a avaliação que você deve fazer é mais sobre o chefe do que sobre o próprio indivíduo. Muitos chefes têm bom senso e conseguem perceber quando uma pessoa está tentando aparecer e, principalmente, se for às custas de outros que trabalham “na sua”.

Se o cara for puxa saco mas não estiver te prejudicando em nada, tente relevar. Se sua empresa permitir, trabalhe com um fone de ouvido ouvindo músicas tranquilas e inspiradoras, que não atrapalhem sua concentração. Dessa forma você evita escutar comentários desagradáveis da pessoa bajulando o chefe.

 

3 – Tente enxergar o caráter da pessoa e o tamanho do problema

  • Ele acredita que é mais importante ser chefe do que ser um bom colega de trabalho?
  • Quando ele tem a oportunidade de liderar alguém, ele faz isso com arrogância?
  • Ele altera a sua forma de agir dependendo da pessoa (ou do seu nível hierárquico) com a qual ele está lidando ou conversando?
  • Ele só é bondoso ou amigável quando precisa de algo?
  • Você tem alguma relação com essa pessoa fora do ambiente de trabalho ou ele só se aproxima com alguma terceira intenção?

Essas são algumas características de um puxa saco profissional. A pessoa em questão têm todas essas características?

Se depois de todas questões você ainda está incomodado com essa pessoa, só têm uma coisa que você pode fazer:

 

4 – Aprenda a lidar com puxa-sacos

Pessoas que sentem a necessidade de ficar vangloriando o chefe simplesmente pelo fato de ser um chefe e, ao mesmo tempo, desmerecer pessoas que estão em um nível hierárquico inferior, são pessoas seriamente medíocres.

Se você não tolera essas pessoas medíocres e está incomodado por eles tomarem mais méritos do que você, sendo que você tem muito mais competência e trabalha honestamente, podemos concluir que você não é uma pessoa medíocre.

A melhor forma de lidar com puxa-sacos é mostrando o seu real valor: mostrar que seu serviço é de qualidade e que você pode se sobressair pela sua competência e não porque busca cafés pros chefes de hora em hora.

Nunca se esqueça de, tratando-se de pessoas desleais, você deve deixar tudo documentado. Mande e-mails para formalizar tudo que está acordado entre vocês. Mantenha seu chefe em cópia sempre que você fizer alguma etapa do trabalho para documentar que foi feito por você.

Se seu chefe não conseguir enxergar isso ou preferir valorizar puxa-sacos, temos que admitir que ele não nasceu pra ser chefe. A maioria das empresas repudiam pessoas assim e uma conversa com o RH deve ajudar.

Porém, infelizmente nem todas as empresas estão preparadas para lidar com esse tipo de problema. Muitas vezes toda a estrutura da empresa, desde a presidência ou CEO, no geral tem pessoas que valorizam esse tipo de comportamento e, por isso, é difícil lutar contra.

Lembre-se que, se você é um profissional de qualidade, a empresa precisa mais de você do que você dela. Se os seus valores não se encaixam nos valores da empresa (aquele que você enxerga no dia a dia, e não aqueles que estão escritos na “visão, missão e valores” da empresa), o mercado está de portas abertas.

Espalhe seu currículo e busque algo com o qual você se identifica. Você passa mais tempo no seu trabalho do que com sua família, e ninguém merece ser infeliz a maior parte da vida!

HOME

Administre sua vida para o natal

postado em: Finanças Pessoais | 0

ceia de natal cardapioFim de ano chegando, pois é…

Temos muito a comemorar: finalmente teremos nossas férias e merecido descanso, vamos reunir a família para passar bons momentos juntos. Muitos podem comemorar mais um ano de sucesso e prosperidade.

Porém, com o final do ano, muitas preocupações também chegam: IPVA, IPTU, seguro do carro, matrícula dos filhos na escola, pagar o 13° dos funcionários ou empregados domésticos, custos das férias de final de ano e de toda a comemoração do natal.

Sim, realmente: mal passa o natal e já chega um monte de contas pra pagar!

Mas fique calmo! Nós, do Livros de Administração, estamos aqui para ajudar você a encontrar maneiras de economizar. E não estamos aqui para dizer coisas óbvias como “procure um destino mais barato para suas férias” ou “pague seu IPVA antecipado para conseguir um bom desconto”. Disso todo mundo já sabe.

O que poucos sabem é que os maiores “ralos de dinheiro” da nossa vida são os supérfluos. Não é o que você gasta no supermercado pra alimentar a sua família que está te fazendo ficar no vermelho. É o estacionamento, o jornal, o presente de aniversário do coleguinha da escola do seu filho, o pão de queijo na esquina, aquela blusinha baratinha.

Nossa, mas essas coisas são tão baratas…

Sim, verdade. Mas de grão em grão, a galinha enche o papo. Nesse caso, de centavos em centavos, sua carteira esvazia e você nem percebe.

Então, meus amigos, o segredo é economizar aonde não é óbvio. E como isso se aplica ao natal?

Um dos gastos mais comuns nessa época do ano é a ceia de natal! Um cardápio de ceia de natal farto e bonito, como daqueles da propaganda da coca-cola é realmente muito encantador. O problema é que muitas pessoas não sabem cozinhar e, por isso, encomendam comida pronta. Lógico que isso não sai barato! “Mas é só uma vez por ano”, você pensa. Sabe quantas coisas você compra com esse mesmo pretexto? No final das contas, você já gastou seu dinheiro com mais de 20 coisas anuais, o que ja deu quase duas por mês. Que tal começar a cortá-las?

Ok, então como eu consigo servir um belo cardápio de ceia de natal sem abrir mão do sabor e sem gastar dinheiro encomendando?

Simples. Faça a ceia. Convide a família, coloque todos na cozinha e mão na massa! Todos irão comer. Então por que não podem todos ajudar?

Para te ajudar, procure receitas testadas e aprovadas, de fontes confiáveis. O site Delicias Festivas tem um página somente sobre cardapio – ceia de natal. É interessante a variedade de receitas extremamente úteis para momentos festivos, que vão te ajudar a economizar e ainda reunir a família para trabalharem juntos nesses momentos.

 

HOME